Segurança do Trabalho: Técnico ou Engenharia? O que escolher? – SG4

Segurança do Trabalho: Técnico ou Engenharia? O que escolher?

Você sabe qual a diferença de atribuições entre um Técnico de Segurança do Trabalho ou um Engenheiro de Segurança do Trabalho? Pretende cursar algum deles, mas ainda não entendeu a diferença?

Preparamos este material para ajudar a esclarecer suas dúvidas sobre estas duas importantes carreiras. O primeiro ponto a destacar é que sim, se tratam de duas profissões distintas! Por isso, vamos abordar individualmente cada uma delas.

Técnico de Segurança do Trabalho

Técnico de Segurança do Trabalho é um curso técnico, com duração média de 2 anos. Trata-se de um curso com alta exigência e, portanto, difícil, já que detalha todos os espectros de segurança do trabalho.

Ao se formar como um técnico de segurança do trabalho, este profissional passará a atuar diretamente nas empresas, executando a segurança do trabalhador de forma pura e aplicada. É, por isso, um profissional que está em campo, elabora documentos detalhados, faz investigação de acidentes… Ou seja, é um profissional que ajuda a implementar as rotinas de segurança nas empresas.

Vale lembrar que, segundo a Norma Regulamentadora NR 4, este é um profissional obrigatório nas empresas, de acordo com o número de funcionários na empresa e o grau de risco específico, baseado no código da atividade empresarial. É, portanto, uma profissão obrigatória! O que garante amplo mercado de trabalho.

Apesar do mercado de trabalho ser bastante positivo para este profissional, não se engane, é necessário ser altamente qualificado para se destacar! Habilidades como boa comunicação oral, bom vocabulário e boa escrita são fundamentais. Por isso, se qualifique e se aprimore profissionalmente.

O que é Engenharia de Segurança do Trabalho

A Engenharia de Segurança do Trabalho é outra profissão, outra jornada. Primeiramente, para ser Engenheiro de Segurança do Trabalho você precisa necessariamente ser um Engenheiro, ou seja, já ter se formado em Engenharia. Isto porque, o curso de Engenharia de Segurança do Trabalho configura-se como um curso de pós-graduação.

Por conta disto, o ciclo de formação de um engenheiro de segurança do trabalho são, no mínimo, 7 anos, sendo 5 anos para a graduação em alguma Engenharia e mais 2 anos de pós-graduação.

Diferentemente do técnico, o engenheiro de segurança do trabalho tem responsabilidade técnica para assinar documentos, pode elaborar laudos de insalubridade e periculosidade, coordena equipes e tem cargos de Liderança.

O engenheiro de segurança do trabalho também vai para campo? Sim! Entretanto, é um profissional que executa o gerenciamento dos temas associados à segurança do trabalho. 

Como está o mercado para engenheiros e técnicos de segurança?

Geralmente, a situação mais vista no mercado de trabalho é a seguinte: o profissional se insere no mercado como um técnico de segurança, depois de executar por dois anos o curso, conquista vivência nesta área e, posteriormente, decide cursar engenharia para estar apto a se pós-graduar em Engenharia de Segurança do Trabalho. Esta é uma jornada muito rica, pois fornece vivência prática e capacitação aprofundada. 

Neste processo, é muito comum que os profissionais optem por cursar Engenharia Ambiental. Apesar desta não ser uma exigência, cursar engenharia ambiental garante ao profissional um conhecimento muito mais aprofundado e ainda mais possibilidades de trabalho. 

Vale lembrar que as empresas têm obrigação de contratar técnico de segurança do trabalho, mas esta obrigação não existe para engenheiros ambientais.

 

Assista ao vídeo para mais detalhes! 

 
 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você sabe qual a diferença de atribuições entre um Técnico de Segurança do Trabalho ou um Engenheiro de Segurança do Trabalho? Pretende cursar algum deles, mas ainda não entendeu a diferença? Preparamos este material para ajudar a esclarecer suas dúvidas sobre estas duas importantes carreiras. O primeiro ponto a destacar é que sim, se tratam de duas profissões distintas! Por isso, vamos abordar individualmente cada uma delas.
Facebook
Facebook
YouTube
Pinterest
LinkedIn
LinkedIn
Instagram
Open chat